A radiologia é uma das áreas mais importantes da medicina quando se trata de cuidados com a saúde. No entanto, algo que compõe e está ligado a esse setor é o uso de IoT.

IoT na medicina entenda como funciona

Essa pequena sigla vem trazendo avanços significativos para a medicina em todo mundo. Sua aplicação resulta em diagnósticos mais precisos e de mais qualidade.

Por isso que dar uma atenção a esse fator é algo que tem gerado interesse nas instituições. Porém, nem todo mundo sabe a razão de sua existência e o motivo pelo qual ele tem despertado tanto interesse.

Sendo assim, falaremos um pouco a mais sobre este assunto. Confira aqui tudo o que você precisa saber sobre ele.

O que é IoT na medicina?

O que e IoT na medicina

O chamado internet das coisas, ou internet of things (IoT) é uma junção dos dispositivos médicos a uma rede de comunicação, onde ocorre a troca de coleta de informações.

Portanto, acabam sendo dispositivos que possuem uma interação entre eles para que se possa solucionar questões e gerar eficiência sem que seja preciso contar com ajuda humana.

Um exemplo disso são os apps móveis que conseguem se conectar a outros dispositivos eletrônicos. Os relógios inteligentes ilustram bem isso, pois tem os dados dos pacientes e enviam dados precisos que podem ajudar o médico a detectar problemas.

Então, de modo resumido, são aplicadas soluções que fazem a conexão entre os dispositivos onde um envia informação e o outro recebe, podendo ter uma maior autonomia para o paciente.

Qual a vantagem de usar o IoT para medicina?

Uma pesquisa feita pela Data Corporation estimou que mais de 40% das unidades de saúde farão uso de alguma tecnologia IoT como meio de solucionar a vida dos pacientes.

Uma das principais vantagens é poder fazer um monitoramento contínuo do paciente, assim, pode-se dar algo mais individual para cada pessoa.

Quando há o aumento de dados sobre um quadro clínico, se torna possível gerar um diagnóstico que tenha mais precisão.

Além disso, acompanhar os dados em tempo real pode significar uma economia de até 30% no tempo dos profissionais. Ainda, pode-se partilhar informações de modo simples.

Por exemplo, os exames de imagens podem ser compartilhados por meio de aparelhos digitais que não precisam gerar o exame no papel e sim como um documento digital.

Exemplos de aplicação da IoT na medicina

IoT na medicina ajuda coletar dados do paciente

Os estudos que envolvem IoT tem ganhado cada vez mais enfoque. Isso porque observa-se que os resultados gerados possuem muita relevância.

Diversos projetos ainda estão em fase de avanço, no entanto já se torna possível ver resultados. Alguns dos exemplos são:

Marcapasso cardíaco

Esta é uma tecnologia em que a IoT acaba sendo muito usada. Nos EUA principalmente, pois lá os estudos se encontram mais à frente. Então, este aparelho é colocado no paciente e seu monitoramento é feito em tempo real.

Dessa forma, qualquer mudança que aconteça é possível ficar em alerta para que se possa agir de forma rápida.

Monitoramento de paciente com Parkinson

Existe um dispositivo em desenvolvimento chamado Projeto BlueSky que conta com o objetivo de melhorar a qualidade de vida de pessoas que possuem Parkinson.

Desse modo, o paciente usará o aparelho que irá gerar dados em tempo real de todos os sintomas e também dos impactos que a doença teve no corpo.

Assim, o médico poderá tomar um cuidado mais preciso sobre aquele paciente.

Dispositivo para diabéticos

Outro ponto que entra em questão aqui é a diabetes. Como existem muitas pessoas acometidas pela doença, gera-se uma preocupação maior com seu bem-estar.

Principalmente porque é necessário ficar atento as taxas de glicose no sangue. O monitoramento é o principal ponto para que se estabeleça um bem-estar na saúde do paciente.

Sendo assim, uma empresa holandesa foi capaz de fazer um aparelho que mede os níveis de açúcar no sangue por meio do fluido lacrimal.

Ele é uma bobina de metal flexível que é coberta com uma camada de hidrogel. Dentro desse produto, há uma enzima chamada glicose oxidase.

Esta enzima é a mesma que se usa em testes de sangue com açúcar. Então, na presença de glicose, a enzima acaba emitindo um sinal elétrico que pode ser sentido pelo nanosensor na bobina de metal.

O projeto final deste aparelho pretende contar com um microship para que os dados obtidos possam passar para um celular.

IoT na Telemedicina

A telemedicina surgiu por meio do uso da tecnologia da informação e da comunicação. Portanto, fazer uso da mesma como uma prestadora de serviços de interpretação de exames à distância é uma modalidade de IoT.

As duas opções podem atuar juntas para que se possa potenciar os resultados para médicos, unidades de saúde e pacientes.

Um exemplo claro disso é poder partilhar os dados obtidos por aparelhos digitais durante os exames de diagnóstico feitos por meio da plataforma de telemedicina.

As informações que são geradas de modo automático na ficha do paciente ficam acessíveis para interpretação por parte de especialistas.

Esse processo torna mais fácil poder viabilizar e emitir laudos à distância com uma maior qualidade e eficiência.

Com a crescente adesão de aparelhos que estejam conectados em casas, empresas, ou unidades de saúde, a Internet das Coisas acaba sendo uma tendência para a medicina no futuro.

Há uma grande expectativa sobre a evolução de aparelhos que já existem e que podem se tornar ainda melhores por conta da junção com a IoT. Assim, pode-se ter mais:

  • Eficácia;

  • Qualidade;

  • Precisão;

  • Rapidez.

Conclusão

IoT na medicina otimiza o trabalho dos medicos

Por fim, vimos aqui um pouco sobre como a IoT tem gerado impactos na medicina e tem ajudado a aumentar a qualidade de vida dos pacientes e a otimizar o trabalho dos médicos.

Isso porque tudo se torna mais fácil a partir do momento em que se tem aparelhos conectados a internet que fazem o controle em tempo real e de forma precisa. Assim, qualquer mudança brusca pode gerar um alerta para que medidas rápidas possam acontecer.

Diga aqui se você já teve alguma experiência com o IoT e qual sua opinião sobre este assunto. Além disso, compartilhe este artigo com aquelas pessoas que tem interesse em tecnologia e saúde.

Post a Comment

Olá, amigo leitor! Digite a sua mensagem

Postagem Anterior Próxima Postagem